Categorias
Proteção de dados

Tudo o que você precisa saber sobre prevenção de perda de dados

A prevenção de perda de dados é definida como a estratégia utilizada para garantir que usuários digitais e corporativos não enviem informações confidenciais ou críticas fora de uma rede corporativa ou até mesmo de uma rede doméstica.

O termo também define softwares que ajudam um administrador de rede a controlar quais dados os usuários finais podem transferir.

Com a aprovação recente da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), legislação brasileira que determina a forma como os dados dos cidadãos brasileiros podem ser coletados e tratados, a preocupação sobre o tema da prevenção de perda de dados terá ainda mais destaque.

Separamos neste post, as principais informações para você tirar suas dúvidas sobre o assunto e assim dar os próximos passos na proteção de dados de sua empresa.

A prevenção de perda de dados terá impacto nas decisões de compra

Em plena era da Transformação Digital, onde dados e informações passaram a ter um peso fundamental no processo de compra, previnir a perda de dados se torna uma prioridade na proteção dos clientes e na imagem das empresas.

Dessa forma, basta um ataque virtual ou uma falha de segurança para resultar no roubo de dados. Assim, afeta-se diretamente a credibilidade da organização atingida e a decisão de compra de seus clientes.

A prevenção de perda de dados não se aplica apenas às grandes empresas, afinal ela é estratégica para qualquer negócio. Envolvendo assim, todos os tamanhos de empresas e segmentos de atuação. Estarem sujeitas a ciberataques, sequestros e roubos de dado mudou completamente a visão das organizações quanto à segurança da informação. Por isso, a proteção dos dados passou a fazer parte do modelo de negócio de qualquer empresa.

Ferramentas de proteção de dados são fundamentais

Os produtos de software desenvolvidos para a proteção de dados utilizam regras e políticas de negócios para classificar e proteger informações confidenciais e críticas. Elas buscam evitar que usuários finais não autorizados compartilhem, acidentalmente ou não, dados que a divulgação traga risco à organização.

Na prática, por exemplo, se um funcionário tentar encaminhar um e-mail comercial fora do domínio corporativo ou carregar um arquivo considerado estratégico para um serviço de armazenamento na nuvem, como Dropbox, Drive e etc, ele teria a permissão negada.

A adoção da proteção de dados está acontecendo em decorrência de ameaças internas e leis de privacidade mais rigorosas. Além de poder monitorar e fazer o controle de atividades, as ferramentas de proteção de dados podem, através de filtros, controlar o fluxo de informações na rede corporativa e proteger dados ainda em movimento.

Proteção de dados é uma responsabilidade compartilhada

As perdas de dados podem acontecer por razões diferenciadas. Algumas empresas podem estar mais preocupadas com vulnerabilidades e ataques externos, enquanto outras se preocupam principalmente com erros humanos.

Para se ter uma ideia, a perda de dados pode ocorrer durante um procedimento padrão de TI como uma migração. Ela também pode acontecer após ataques de ransomware ou outro malware. Além disso, essas ameaças conseguem ser disparadas através de um simples e-mail.

O impacto da perda de dados também pode variar de acordo com o segmento de atuação ou tamanho da organização. Além de impactar informações internas, perder dados traz risco à posição legal de uma empresa diante das leis de conformidade.

Porém, a cobrança e o desafio não podem ficar apenas com gestores e equipes de T. Afinal, a responsabilidade pela prevenção de perda de dados precisa ser compartilhada entre todos. Em muitos casos, são os próprios funcionários que enviam de forma acidental informações consideradas sensíveis. Além disso, as vezes eles também executam alguma operação que abre espaço para um ataque virtual.

Por isso, mais do que implementar um programa de prevenção de perda de dados, é preciso conscientizar. E para isso, a equipe responsável pela segurança da informação precisa fornecer treinamentos para executivos e usuários finais sobre os benefícios da proteção de dados para a empresa, para os próprios funcionários e clientes.

O desafio da proteção de dados

Causas não intencionais comuns de perda de dados incluem mau funcionamento de hardware, software corrompido, erro humano e desastres naturais. Os dados também podem ser perdidos durante as migrações e em quedas de energia ou desligamentos incorretos dos sistemas. Isso já nos mostra o quanto a prevenção de perda de dados se tornou um grande desafio.

O mau funcionamento do hardware

Essa é a causa mais comum de perda de dados nas empresas. Basta um disco rígido travar devido a um superaquecimento, problemas mecânicos ou simplesmente o tempo de uso.

A manutenção preventiva do disco rígido ajuda a evitar a perda de dados. Além disso, habilita as equipes de TI para a substituição da unidade em situações de risco.

Software corrompido

Outra problema comum no desafio da prevenção de perda de dados é o software corrompido. Esta situação pode ocorrer quando os sistemas são desligados incorretamente. Geralmente eles podem ser atribuídos a quedas de energia ou erros humanos. Por isso é fundamental que a equipe de infraestrutura esteja preparada para incidentes e garanta o desligamento adequado dos sistemas.

Desastres naturais

Desastres naturais estão relacionados a todos os itens descritos acima. Dessa forma, pode causar tanto danos ao hardware, quanto a corrupção dos sistemas. Um plano de recuperação em caso de desastre e backups frequentes são as estratégias mais indicadas para evitar esse tipo de perda de dados.

Além desses exemplos, vírus de computador e ataques virtuais são fatores em potencial para perda de dados. E eles também causam grandes prejuízos para organizações e seus clientes.

O impacto direto para o negócio

Como você pode perceber, além do desafio, evitar a perda de dados pode ser um processo caro, exigindo a compra de soluções de software e hardware, além de serviços de backup e proteção de dados.

Porém, embora os custos desses serviços possam ser altos, o investimento para a prevenção completa contra a perda de dados geralmente vale a pena a médio e longo prazo. Especialmente quando comparado aos impactos da falta de proteção.

No caso de grandes perdas de dados, a continuidade dos negócios e os processos são severamente afetados. Tempo e recursos financeiros da empresa geralmente precisam ser desviados para resolver os incidentes e recuperar as informações perdidas, para que assim outras funções de negócios possam ser restauradas.

Próximos passos

Com a convergência dos negócios em direção à economia digital, preocupar-se com segurança da informação e prevenção de perda de dados se tornou fundamental.

Não só a participação das empresas nesse período de transformação digital fica comprometida, mas qualquer tipo de iniciativa visando o crescimento futuro dificilmente será alcançada caso perdas financeiras e de credibilidade atinjam as empresas.

Sobre a EVAL

A EVAL está a mais de 18 anos desenvolvendo projetos nos segmentos financeiro, saúde, educação e indústria, Desde 2004, oferecemos soluções de Autenticação, Assinatura Eletrônica e Digital e Proteção de Dados. Atualmente, estamos presente nos principais bancos brasileiros, instituições de saúde, escolas e universidades, além de diferentes indústrias.

Com valor reconhecido pelo mercado, as soluções e serviços da EVAL atendem aos mais altos padrões regulatórios das organizações públicas e privadas, tais como o SBIS, ITI, PCI DSS, e a LGPD. Na prática, promovemos a segurança da informação e o compliance, o aumento da eficiência operacional das empresas, além da redução de custos.

Inove agora, lidere sempre: conheça as soluções e serviços da Eval e leve sua empresa para o próximo nível.

Eval, segurança é valor.

Categorias
Proteção de dados

6 passos simples para evitar vazamento de dados

O vazamento de dados teve destaque nos principais sites e noticiários nos últimos tempos. Recentemente por exemplo vimos um grande escândalo envolvendo o Facebook. O que nos chamou mais atenção nesse vazamento foi verificar o quanto estamos vulneráveis. Além disso, vimos o quanto esse tipo de situação pode ser danosa em nossas vidas e também para as empresas.

Infelizmente sempre teremos esse risco, entretanto, com algumas ações simples podemos reduzir as chances de isto acontecer. Além disso, é possível minimizar os impactos para os clientes quando esse tipo de incidente ocorrer.

Conscientização é o primeiro passo para reduzir o vazamento de dados

Primeiro, vamos falar em conscientização. Afinal, muitas empresas ainda tratam a segurança dos dados com restrição. É comum esse tipo de comportamento quando são associados a necessidade de investimentos especializados. Esse é um erro estratégico.

A realidade mostra que investir em segurança da informação é fundamental, principalmente em um momento que temos clientes cada vez mais conectados e realizando operações financeiras online.

Antes de qualquer ação ou investimento a ser feito, a conscientização é o primeiro passo para garantir a segurança dos dados corporativos e dos clientes.

Portanto, deve-se entender que vazamento de dados é um incidente que expõe, de forma não autorizada, informações confidenciais ou protegidas. Eles causam prejuízos financeiros e de imagem para empresas e pessoas.

Além disso,  o roubo de dados pode envolver informações pessoais, de identificação pessoal, segredos comerciais ou propriedade intelectual. Os tipos de informações mais comuns em um vazamento de dados são os seguintes:

  • Números de cartão de crédito;
  • Identificadores pessoais como CPF e identidade;
  • Informações corporativas;
  • Listas de clientes;
  • Processos de fabricação;
  • Código-fonte de software.

Os ataques virtuais costumam ser associados às ameaças avançadas, visando a espionagem industrial, interrupção de negócios e roubo de dados.

Como evitar violações e roubo de dados

Não há nenhum produto ou controle de segurança que possa impedir violações de dados. Essa afirmação pode parecer estranha para nós que trabalhamos com tecnologia. Afinal, para que servem os diversos ativos de hardware e software específicos para área de segurança?

Os melhores meios de impedir violações de dados envolvem boas práticas e noções básicas de segurança bem conhecidas, veja exemplos:

  • A realização de testes contínuos de vulnerabilidade e penetração;
  • Aplicação de proteções, que inclui processos e políticas de segurança;
  • Uso de senhas fortes;
  • Uso de hardware de armazenamento seguro de chaves;
  • Uso de hardware para gerenciamento de chaves e proteção de dados;
  • Aplicação consistente dos patches de software para todos os sistemas.

Embora essas etapas ajudem a evitar intrusões, os especialistas em segurança da informação, a exemplo da EVAL, incentivam o uso de criptografia de dados, certificados digitais e autenticação dentro do conjunto de boas práticas recomendadas.

Conheça também os outros 5 passos para evitar o vazamento de dados

O aumento do uso de aplicativos e o armazenamento de dados em nuvem causou um aumento da preocupação do vazamento e roubo de dados.

Por isso, os passos que vamos descrever consideram a computação em nuvem como a principal infraestrutura de TI adotada pelas empresas para hospedar seus produtos, serviços e ferramentas que fazem parte do processo produtivo.

Desenvolva um plano de resposta a vazamento de dados

Pode parecer estranho a recomendação de um plano de resposta vir antes da construção de políticas e processos de segurança, mas vai fazer sentido. Na verdade, não existe uma ordem certa na elaboração dos documentos, até porque a construção será feita a várias mãos e todos são independentes.

Um plano de resposta a vazamento de dados consiste em um conjunto de ações destinado a reduzir o impacto do acesso não autorizado a dados e a mitigar os danos causados ​​se uma violação ocorrer.

Dentro do processo de elaboração, existem etapas, que quando bem definidas, vão servir de base para elaboração de suas políticas e processos de segurança. Para você ter uma ideia o desenvolvimento desse plano nos traz abordagens do tipo:

  • Análise de impacto nos negócios;
  • Métodos para recuperação de desastre;
  • Identificação dos dados confidenciais e críticos da sua organização;
  • Definição de ações para proteção com base na gravidade do impacto de um ataque;
  • Avaliação de riscos do seu ambiente de TI e identificação de áreas vulneráveis;
  • Análise da atual legislação sobre violação de dados;
  • E outros pontos críticos.

Citamos alguns pontos, mas um plano de resposta a vazamento de dados aborda outras áreas que também servem de base para a construção das políticas de segurança.

Como estamos considerando um ambiente em nuvem, a estratégia a ser construída no plano de resposta a vazamento de dados deve ter a participação do fornecedor da infraestrutura de nuvem.

Vale destacar ainda que muitos dos recursos disponíveis na nuvem já possuem características próprias que ajudam na construção e execução dos planos.

Ter uma política de segurança da informação que contemple a proteção dos dados

Uma política de segurança geralmente é considerada um “documento vivo”, o que significa que ela nunca é concluída, sendo continuamente atualizada à medida que os requisitos de tecnologia e estratégias da empresa mudam.

A política de segurança de uma empresa deve incluir em seu conteúdo uma descrição de como a companhia realiza a proteção dos seus ativos e dados.

Neste documento é apresentada ainda uma definição de como procedimentos de segurança serão executados e os métodos para avaliar a eficácia da política e como as correções necessárias serão feitas.

Vale lembrar que faz parte das políticas de segurança a adoção do termo de responsabilidade assinado pelos colaboradores para que eles se comprometam com a segurança da informação e o não vazamento de dados.

Assim como o plano de resposta a vazamento de dados, a política de segurança também é um documento amplo com vários pontos, mas que não foram descritos neste artigo.

Certifique-se de ter uma equipe treinada

Assim sendo, como você deve saber, treinamento é um ponto crucial para evitar o vazamento de dados. A capacitação de funcionários aborda a segurança em vários níveis:

  • Ensina aos funcionários sobre situações que possibilitam vazamentos de dados, a exemplo das táticas de engenharia social;
  • Garante que os dados sejam criptografados à medida que ações sejam executadas conforme as políticas e planos de segurança;
  • Certifica que os processos envolvidos sejam os mais dinâmicos e automáticos, de forma a atingir a conformidade das legislações;
  • Assegura a conscientização dos funcionários quanto a importância da segurança da informação, reduzindo riscos de ataques.

Adote ferramentas eficazes na proteção dos dados

Em uma arquitetura de nuvem adotada pelas empresas, a existência e uso de ferramentas que contribuam para garantir a segurança da informação é obrigatória. Além de ativos de hardware e software deve-se encontrar como recursos:

  • Ferramentas para monitorar e controlar o acesso à informação;
  • Ferramentas para proteger o dado em movimento (canal SSL/TLS);
  • Ferramentas para proteger o dado em repouso (em banco de dados e arquivos);
  • Ferramentas para proteger o dado em memória;
  • Ferramentas de prevenção à perda de dados (DLP).

Em resumo, as abordagens adotadas por essas ferramentas são úteis e obrigatórias quando o objetivo é bloquear a saída de informações confidenciais. Elas são fundamentais para reduzir o risco de vazamento de dados quando gerenciados através de serviços de infraestrutura na nuvem.

Teste seu plano e as políticas, abordando todas as áreas consideradas de risco

Da mesma forma que as outras seções descritas são importantes, o valor de realizar verificações, assim como as validações das políticas e dos planos de segurança fazem deste último passo um dos mais críticos.

Como resultado, a empresa deve realizar auditorias profundas para garantir que todos os procedimentos funcionem de forma eficiente e sem margem para erros. Porém, para muitos, a etapa de testes deve ser uma das partes mais desafiadoras. Então a área de segurança da informação deve sempre buscar evitar o vazamento de dados.

Por outro lado, é muito difícil colocar em execução todos os procedimentos descritos. Principalmente devido ao fato de que temos as operações da empresa sendo executadas a pleno vapor. Quando não planejado corretamente, os testes podem causar forte impacto na rotina da organização. Entretanto, essa validação é fundamental para proteger a empresa em relação ao vazamento de dados e não pode ser negligenciada.

Por fim, os passos descritos no artigo certamente vão ajudar sua empresa na prevenção de incidentes de segurança. Apesar de uma aparente complexidade é plenamente possível adotá-los e ter sucesso na prevenção ao vazamento de dados.

Enfim, aproveite e assine nossa newsletter e fique por dentro das novidades e tecnologias EVAL. Continue acompanhando nossos conteúdos no blog e aproveitando nosso perfil do Linkedin para estar sempre informado.

Sobre a Eval

A EVAL está a mais de 18 anos desenvolvendo projetos nos segmentos financeiro, saúde, educação e indústria, Desde 2004, oferecemos soluções de Autenticação, Assinatura Eletrônica e Digital e Proteção de Dados. Atualmente, estamos presente nos principais bancos brasileiros, instituições de saúde, escolas e universidades, além de diferentes indústrias.

Com valor reconhecido pelo mercado, as soluções e serviços da EVAL atendem aos mais altos padrões regulatórios das organizações públicas e privadas, tais como o SBIS, ITI, PCI DSS, e a LGPD. Na prática, promovemos a segurança da informação e o compliance, o aumento da eficiência operacional das empresas, além da redução de custos.

Inove agora, lidere sempre: conheça as soluções e serviços da Eval e leve sua empresa para o próximo nível.

Eval, segurança é valor.